Flamenco

A modalidade de dança tem se espalhado pelas escolas do país e é uma ótima opção para quem procura aprender uma arte de muita beleza

A dança Flamenca pode ser uma modalidade nova ou diferente para muita gente, mas na verdade ela tem muita história e fortes raízes culturais. Novo queridinho das academias de dança, o Flamenco envolve movimentos corporais, sapateado, uso de objetos e canto em uma arte intensa e muito sensual.

O Flamenco não é só uma dança, mas toda uma cultura que começou com o canto, expandiu-se para a música com instrumentos e só posteriormente incorporou a dança. A professora de dança Tatiana Bittencourt, sócia do Estúdio de Arte Flamenca, no Rio de Janeiro, conta que o Flamenco nasceu da mistura entre vários povos, que se encontraram na península ibérica, por volta do século XVI.

Ela completa que, de uma forma geral, a cultura do Flamenco está ligada aos povos que foram perseguidos e que se refugiavam no sul da Espanha: “Ciganos, mouros e judeus se encontravam para compartilhar seus lamentos e suas dores em forma de canto, que foi a primeira forma de manifestação desta arte”.

Apesar de uma arte antiga, o Flamenco só se difundiu de forma mais intensa a partir dos anos 1970 e recentemente, em 2010, ganhou o título de patrimônio imaterial da humanidade pela Unesco.

No Brasil, a atividade tem se aproximado cada vez mais do público, trazendo um maior número de pessoas interessadas em aprender e pesquisar a dança e suas vertentes. As academias também vêm ampliando as opções e cada vez é mais fácil encontrar a modalidade nas escolas de dança.

 

Quem pode dançar o Flamenco?

Todo mundo pode dançar o Flamenco e tem capacidade de interiorizar a dança à sua maneira. Segundo Tatiana, não há restrições de qualquer tipo: “É um tipo de dança muito democrática, não existe limite de idade, de peso e nem de nada. Cada um encontra dentro de si mesmo onde essa arte lhe toca”.

Me apaixonei na primeira aula e nunca mais parei.

A historiadora Maria Cristina Martins faz aulas de Flamenco há oito anos e conta o quanto se apaixonou pela dança à primeira vista: “Eu procurei por dança quando estava com quase 30 anos e não fazia atividade física nenhuma. Nunca gostei de academia, entrava e saía. Estava engordando e começando a sentir dores. Me apaixonei na primeira aula e nunca mais parei. Faz muito bem para o corpo, a alma e a autoestima. É muito bom movimentar o corpo com uma música ao vivo, linda, forte, vibrante. E quando a gente consegue fazer aquele passo que não estava conseguindo, quando percebe que o corpo está menos duro, respondendo à prática… É muito bom.”

9 benefícios do Flamenco para o corpo e o bem-estar

Não é novidade que danças de diversos estilos fazem bem ao corpo e à mente. O Flamenco além de ser uma atividade física que trabalha vários aspectos corporais, tem um enorme poder sobre o emocional e a autoestima, buscando o autoconhecimento e a percepção musical e corporal.

Confira alguns dos principais benefícios dessa linda arte:

 

1. Aprimora a musicalidade

O Flamenco apura a musicalidade e a percepção musical, trabalhando com o ritmo, a marcação, o canto, as palmas e as melodias. A música interage com a dança de forma inseparável, expressa nas coreografias, passos, palmas e expressões.

2. Corrige a postura

A dança exige uma posição ereta e pode auxiliar na correção de problemas de postura, fortalecendo gradativamente as musculaturas abdominais e das costas.

3. Melhora a coordenação motora

A contagem de passos no ritmo e as exigências de compasso da música, além das coreografias, estimulam a coordenação motora, sendo um ótimo exercício para a percepção corporal.

4. Fortalece o corpo

Os movimentos exigidos na dança fortalecem intensamente a musculatura de pernas e braços. No sapateado, coxas e glúteos são exercitados. Além da flexibilidade e da elasticidade exigidas nas coreografias.

5. Melhora a concentração

“O Flamenco é uma arte muito integrada à música e é fundamental estarmos o tempo todo ouvindo e atentos ao compasso”, explica Tatiana Bittencourt.

6. Trabalha o emocional

“Por ter uma gama muito grande de ritmos e estilos musicais, podemos expressar um grande repertório de emoções, como a tristeza, a alegria e a dor”.

7. Aflora a expressão corporal

A atenção aos movimentos de várias partes do corpo, as expressões faciais exigidas, a postura, a interiorização da música expressa em coreografias. Tudo isso contribui com um exercício de consciência corporal e pode te ajudar a conhecer melhor as possibilidades do seu corpo.

8. Melhora a autoestima

A dança flamenca é um espetáculo intenso e de muita beleza. Os passos firmes e elegantes e a coreografia em conjunto com a música imprimem a essa arte uma beleza hipnotizante. Além disso, ainda há as roupas, acessórios e maquiagens, extravagantes e sensuais. Toda essa busca pela beleza e pela perfeição facilmente irá influenciar sua autoestima.

9. Emagrece

Com tanto exercício e transpiração, além de aumentar a autoestima, exercitar o seu corpo e a sua mente, a dança Flamenca ainda ajuda a queimar as gorduras: cerca de 300 calorias por aula.

Como é a aula de Flamenco?

Na aula de Flamenco aprende-se a dançar em variados ritmos usando todo o corpo. O aluno aprende o sapateado, a marcar palmas em ritmos diferentes, além dos apetrechos da dança como as castanholas, o leque e o manton (um tipo de xale).